Sobre aprender a capinar com enxada cega

Isso não é uma resenha…

Tem um poeta que eu gosto muito que se chama Manoel de Barros. Ele nasceu no Mato Grosso do Sul e eu li, na Wikipedia, que Carlos Drummond recusou o título de maior poeta vivo do Brasil em favor dele. :) (Drummond faleceu já tem uns boooons anos e Manoel no ano passado. Os 2 são maravilhosos, mas achei uma gentileza bonita pra contar aqui e que até que faz sentido. ♥)

Conheci Manoel pela primeira vez lendo o livro Matéria de Poesia, que foi uma das leituras obrigatórias do meu vestibular ou PAS? (É, a looong time ago, quando eu estava no ensino médio).

enxada cega 3
Esse não é o exemplar do livro que eu li pro vestibular

Num trecho desse livro ele enumera (poeticamente, claro) as coisas que poderiam ser feitas em favor da poesia. Uma delas (e a que mais me marcou) foi: aprender a capinar com enxada cega.

enxada cega 2
Clicando dá pra ampliar ;)

Por que eu estou falando disso?

Uma coisa que me incomoda muito e que vejo algumas pessoas pregando por aí é que você não pode começar a fazer arte se não tiver o material XYZ. (Nota: Não são tantas pessoas que fazem isso, mas me sinto profundamente irritada com as que fazem) Tipo: se você não tiver o papel X, o pincel Y ou a tinta Z, nem comece (vale também para o computador a tablet ou seja o que for). Não sei as coisas sempre foram assim, ou se a nossa sociedade da internet & do consumo acentuaram isso.

Esse povo me mata...
Esse povo me mata… (E precisava de uma desculpa pra usar essa foto do Moby como meme…)

É válido você pesquisar para descobrir qual o melhor material/equipamento (ou seja o que for) para você investir seu rico dinheirinho? Claro! Isso é uma forma de consumir melhor e de forma mais inteligente. Mas o que eu percebo que falta é a justificativa (e, principalmente, questionamento) do porquê de material XYZ ser melhor que o material ABC. Assim só se favorece o consumo de coisas caras, mas sem necessariamente ter um motivo real (o que pode ser muito bom pra quem vende o produto caro, mas não pra quem consome).

Sim, como criativa eu adoro materiais. Acho todos lindos, e piro nos chiques e bons! (E quero ter os melhores que eu tiver condição de ter – com relação ao meu objetivo com aquele material…) Mas isso não é o mais importante!

Imploro! Não se deixem inibir e façam a melhor arte que conseguirem com o que tiverem em mãos.

Por último, fica a sugestão: Bora questionar mais? E bora lembrar que o bom artista não é necessariamente o que tem o material top de linha (e que o material não faz a obra sozinho), mas o que domina o material que tem! (E entender esse material pode ajudar!)… Mesmo que o se tenha em mãos seja uma ‘enxada cega’. ;)

Veja também: