Conheci o MAR!

Oi, tudo bem com vocês? Espero que sim! :)

Há alguns dias tive que ir ao Rio fazer uma aula da minha pós que eu estava devendo. Aproveitei que estava lá pra ir à praia (sdds) e para visitar o MAR  (Museu de Arte do Rio) que eu ainda não conhecia.

Amei!

20160403_130451
Vista do 6º andar do MAR. A direita se vê o Museu do Amanhã e ao fundo a ponte Rio-Niterói.

Que museu bonito! Que curadoria bacana! E ainda tive uma sorte grande… Talvez pelo hype do recentemente inaugurado museu do amanhã (que estava cheio que só), tinha pouca gente por lá na hora que cheguei. Por isso tive a oportunidade de fazer uma visita guiada VIP (só eu e o guia)!

Achei que seria legal  compartilhar por aqui um pouco do que eu vi lá. :) (Então será um post mais visual!)

Rio Setecentista

mar 12
Ó mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de ancestrais?
mar 3
Belíssima obra de Adriana Varejão, um mapa de um mundo plano com feridas da África, América (abaixo) e Índia. Essa foi a obra da artista que achei mais bonita, entre as que já vi pessoalmente. Já fui numa exposição com aqueles azulejos bem famosos dela e confesso que me decepcionei um pouco. (Malditas expectativas.)

No dia em que fui, tinha 4 ou 5 exposições acontecendo no museu, mas a que mais me tocou (e que eu concentrei a maior parte do meu tempo para visitar) foi a Rio Setecentista – Quando o Rio virou capital .

Essa exposição, que estará aberta ao público até o dia 08 de Maio, tem um viés mais histórico, mas mistura obras de arte e outras peças da época com obras de arte contemporâneas que tratam do assunto. :) <3

mar 4
Um calvário remontado com santos exuberantes.
mar 5
Parte da belíssima imagem de Custódio Coimbra, O Cristo e o santo.
mar 6
Achei muito bonita a arquitetura da exposição.
mar 7
De acordo com o monitor, esses móveizinhos são mostruários de caixeiro viajante. <3 Já peças do dia-a-dia incluíam grilhões… :OOO
mar 8
A direita, reprodução de roupas de escravos que trabalhavam na rua (eles não usavam sapatos).
mar 10
‘Aluga-se um preto para todo serviço, tendo o ofício de pedreiro…’
mar 113
Acima à esquerda, santos negros, à direita, a planta de um quilombo, abaixo, obra de Rosana Paulino.
mar 16
O que dizer dessa linda liteirinha carregada por escravos? :/
mar 15
Uma seção dedicada a representar os índios. Meu guia questionou essas divisões… Creio ser uma forma da arquitetura/cenografia organizar as obras, mas achei essa parte mais fraquinha e desprestigiada.
mar 17
Essa obra foi censurada…

Embora eu tenha gostado demais de visitar essa exposição, fica aquele nó na garganta pensar em tantos acontecimentos horríveis da nossa história que ainda repercutem fortemente nos dias de hoje.

Acho estranha e forte essa mistura de beleza e tristeza. É algo que me deixa um pouco confusa com relação ao que eu deveria (?) sentir… mas posso dizer que fiquei muito emocionada com essa exposição.

Recomendo fortemente essa exposição pra quem tiver a oportunidade de visitar.

Meu lado arquiteta também ficou encantadíssimo com o museu.

Meu projeto final de TCC também usava um conceito parecido para integração entre prédios novos e outros históricos (com a estrutura nova integrando as construções), então pra mim foi muito legal e fiquei muito feliz de ver pessoalmente essa mesma ideia colocada prática de uma forma tããão bela.

Beijos e até breve!

Lila

Ps. Acho que num próximo post, mostrarei algumas obras que gostei das outras exposições, vocês se interessam em ver?

Veja também:

  • Mariana Navarro

    Ei Lila!! Que lindo esse museu! Realmente a gente fica confuso com relação ao que sentir, nossa história como sociedade é muito pesada mesmo! Sinto tanta falta de visitar museus que tu nem imagina! Ah, quando li mar, eu juro que achei que era o mar tipo oceano mesmo! hahahaha.. Beijos!

  • Oi, Mari!!! Q legal vc aqui! :))) Tb não tenho visitado muita coisa aqui em Brasília, mas quero ir à uma exposição da Frida que começou há pouco. Na sua cidade não rola muita coisa? Ahaha! Pensei q o título podia ter essa ambiguidade… XD Beijos!!!

  • Ah, se eu soubesse que vc viria ao Rio, a gente daria umas voltas ;) O MAR é lindo, e eu ainda não fui no Museu do Amanhã. VC já foi ao Museu de História Nacional? É perto da Praça XV (eu acho). Eu amo <3

  • Oi, Marianita!!! Ainda não conheci tb! Mas como sempre namorei esse e o assunto é do meu maior interesse, escolhi ele pra visitar no meio da correria! Na soma não fiquei nem 3 dias no Rio e não consegui ver ninguém além da minha amiga que me hospedou e outra amiga dela que estava por lá. O bom de ter ido no Mar é que pude visitar a parte externa do museu do amanhã e ainda vi parte do Projeto do Porto Maravilha! Tá ficando muito bonito!

  • Museus são maravilhosos! O que importa é estar perto de arte ;)

  • Eu tb amo!!! <3 <3 <3

  • Mariana Navarro

    Aqui não tem nadaa! haha.. Gosto de Horizontina, mas morro de saudade da minha São Paulo! Não tem jeito! Beijos!!

  • Que pena! Essa parte faz falta mesmo! Espero que vc sempre viaje pra poder ir! SP é demais! :*

  • Que museu lindo! Adoro ver essa parte mais histórica, porque o passado precisa ser resgatado em todos os sentidos, para que muitas coisas não se repitam e para que as futuras gerações saibam de onde viemos e para onde podemos ir. E acabo refletindo que, se tivéssemos uma educação voltada para a preservação da memória, muitas coisas não estariam sendo ditas ~naquele outro site~, não é mesmo?
    Você ia curtir os museus daqui da minha cidade. Tem museu sacro, museu náutico, oceanográfico… preciso revisitá-los :)
    Bjs :*

  • É lindo mesmo! Apaixonante! Tb curto a parte histórica, mas o q achei mais legal foi a mistura do que era histórico com o contemporâneo! Não fica aquela coisa cansativa! Nem demais pra um lado nem pro outro… XD Quem sabe não vou um dia conhecer os museus daí? Meu namorado é gaúcho… não é tão impossível. Ahaha! :) Aí tem mar? Com esses museus marítimos? Não tou sabendo desse outro site. Tou por fora de alguma polêmica?

  • Rayani

    Esse museu parece belíssimo!!!

    Eu sou encantada com essa série da Adriana Varejão.

  • Oi, Rayani! É lindo! Vale a pena tirar um tempo para conhecê-lo quando for ao rio! A obra da Varejão foi uma das que mais gostei. Contextualiza muito do que trata o período! Não sabia que fazia parte de uma série, vou procurar!

    Obrigada pela visita! :*

  • Alice Mantellatto

    Lili, que passeio interessante! Ainda não conheço o Rio, acredita? Preciso fazer essa viagem o quanto antes!
    Ah, eu finalmente respondi a TAG que você me indicou! Quando der, dê uma passadinha no meu blog para ler as respostas!
    Beijos e mais uma vez obrigada por me indicar <3

  • Oi, Alice! Vale a pena visitar o Rio! Tenho minhas críticas com relação a cidade (imagine o ápice da brasilidade pro bem e pro mal), mas realmente pro lado bom tem muuuuuuitas belezas e coisas legais pra conhecer por lá! :) Beijos e vou ver o que você respondeu! ;)

  • Tardei, mas não falhei! T_T Adoro museus! Realmente é uma coisa contraditória, ver a beleza nas tragédias, mas acho que isso torna a coisa mais suportável também, né?! Se não conseguíssemos poetizar as coisas, viveríamos numa constante depressão pelas coisas que nos cercam, eu acho. E acredito que a poesia tem mesmo esse papel, de tornar as coisas mais belas, mais leves, para nós. Concordo com a Lidy, sobre o resgate das memórias do passado, para que não se repitam as tragédias… embora seja impossível se interpretar as coisas sob o mesmo ponto de vista… :/

  • Oi, Bia!!! Que bom que você voltou!!! XDDD Sdds!

    (Vc á foi no Iberê Camargo, né? Foi outro dos projetos que eu mais gostei de conhecer!)

    Acho que você tem razão quanto a essa história das coisas se tornarem mais suportáveis… acho que essa é uma das funções da arte, né? :) E vamos tentando acertar mais.

    Besos!